Dia Nacional do Combate ao Colesterol

08_combatecolesterol-220x150Dia Nacional do Combate ao  Colesterol

 

Dia 08 de agosto é o Dia Nacional do Combate ao colesterol. Sempre ouvimos dizer que o colesterol é o grande vilão da aterosclerose. E realmente o é quando se apresenta em níveis anormais no nosso sangue. Em quantidades adequadas, é necessário para algumas funções importantes do nosso organismo, sendo elemento essencial na secreção de hormônios e ácidos biliares, além de estar presente em todas as células do nosso organismo, pois faz parte da estrutura bioquímica da membrana celular.

Tome muito cuidado quando ouve ou vê na internet pessoas dizendo ou escrevendo o contrario disto , pois inúmeros estudos científicos comprovam a relação da doença cardiovascular, responsável por mais de um terço das mortes em todo o mundo, com o aumento dos níveis do colesterol no sangue.

O colesterol pode ser obtido por síntese endógena, isto é, produzido pelo nosso próprio organismo ou, a partir de alimentos ingeridos na dieta. Um adulto saudável produz cerca de 800 mg de colesterol por dia, o que corresponde a 70% do colesterol total, os 30% restantes vem da dieta.

O colesterol é sintetizado, principalmente, no fígado e no intestino delgado, mas também pode ser produzido pelas células do coração, das glândulas supra renais e dos órgãos sexuais. O colesterol não existe nos vegetais, é produto exclusivo do reino animal. Muitos são os fatores que contribuem para o seu aumento, desde hereditários até os adquiridos ao longo da vida, como a obesidade, o sedentarismo e principalmente uma dieta inadequada, rica em gorduras saturadas presentes nos alimentos de origem animal como gordura, leite não desnatado e ovos.

Existem vários tipos de colesterol circulando no sangue e a esse conjunto chama-se ““colesterol total””. Como o colesterol é uma espécie de gordura e como as gorduras não se misturam com líquidos, o colesterol não se dissolve no sangue. Por isso, precisa unir-se a certas proteínas para cumprir as suas funções, formando as chamadas lipoproteínas (substâncias compostas de lipídios ou gorduras e proteínas). Essas lipoproteínas deslocam-se por todo o organismo via corrente sanguínea, sob duas formas principais:

HDL -high density = alta densidade (o bom colesterol) e LDL – low density = baixa densidade (o mau colesterol).
Está comprovado que o bom colesterol (HDL) retira as gorduras das células e facilita sua eliminação, sendo benéfico ao organismo. Já o mau colesterol (LDL) ajuda as gorduras a entrarem nas células, fazendo com que o excesso seja acumulado nas artérias sob a forma de placas ou ateromas, o que provoca diversos malefícios.

Quando ingerimos um alimento que contenha colesterol, este, ao chegar no intestino delgado, é absorvido pelas células do intestino e pela via sanguínea chega até o fígado, transportado pelos quilomicrons (verdadeiras vesículas transportadoras de gorduras).

Essas partículas são lipoproteínas de muito baixa densidade (98% de lipídios), que contém um centro hidrofóbico (insolúvel em água), composto por triglicerídeos e ésteres de colesterol, envolto por fosfolipídios, apoproteínas e colesterol, tornando-o hidrossolúvel. No fígado é liberado para fazer parte dos ácidos biliares, dos hormônios sexuais, da vitamina D e dos hormônios da supra renal.

É importante que você saiba, caro leitor(a) que o colesterol elevado no sangue não causa sintomas. Os sintomas vêm com o processo aterosclerótico causado por esse aumento do colesterol.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o aumento do colesterol no sangue foi o responsável por 4,4 milhões de mortes no ano de 2002. Nessa estatística, 18% foram por AVC e 56% por doença coronariana.

Mais de 50% da população americana tem colesterol total acima de 200 mg/dl, sendo que 45,8% dos americanos tem LDL colesterol acima de 130 mg/dl e 26,4% deles tem HDL colesterol abaixo de 40 mg/dl. Os níveis ideais de colesterol no sangue são: colesterol total – abaixo de 200 mg/dl de sangue; bom colesterol (HDL) – acima de 60 mg/dl de sangue; mau colesterol (LDL) – abaixo de 100 mg/dl de sangue.

Não deixe de fazer todos os anos o seu check-up e verifique sempre como está o seu colesterol.

Tenha uma alimentação balanceada e pratique atividades físicas regularmente.

Fonte: Savioli, R.M. – Um Coração Saudável- Editora Canção Nova-2010. Clique aqui e adquira

 

Este artigo foi escrito por Roque Marcos Savioli

Deixe seu comentário