Um pouco sobre o colesterol.

Conheça  o colesterol, o que êle pode causar ao nosso organismo  e entenda a diferença entre o bom e o mau colesterol.

Sempre ouvimos dizer que o colesterol é o grande vilão da aterosclerose. E realmente o é quando se apresenta em níveis anormais no nosso sangue. Em quantidades adequadas, é necessário para algumas funções importantes do nosso organismo, sendo elemento essencial na secreção de hormônios e ácidos biliares, além de estar presente em todas as células do nosso organismo, pois faz parte da estrutura bioquímica da
membrana celular.

O colesterol pode ser obtido por síntese endógena, isto é, produzido pelo nosso próprio organismo ou a partir de alimentos ingeridos na dieta. Um adulto saudável produz cerca de 800 mg de colesterol por dia, o que corresponde a 70% do colesterol total, os 30% restantes vem da dieta.

O colesterol é sintetizado, principalmente, no fígado e no intestino delgado, mas também pode ser produzido pelas células do coração, das glândulas supra renais e dos órgãos sexuais. O colesterol não existe nos vegetais, é produto exclusivo do reino animal. Muitos são os fatores que contribuem para o seu aumento, desde hereditários até os adquiridos ao longo da vida, como a obesidade, o sedentarismo e principalmente uma dieta inadequada, rica em gorduras saturadas presentes nos alimentos de origem animal como gordura, leite não-desnatado e ovos.

Existem vários tipos de colesterol circulando no sangue e a esse conjunto chama-se ““colesterol total””. Como o colesterol é uma espécie de gordura e como as gorduras não se misturam com líquidos, o colesterol não se dissolve no sangue. Por isso, precisa unir-se a certas proteínas para cumprir as suas funções, formando as chamadas lipoproteínas (substâncias compostas de lipídios ou gorduras e proteínas). Essas lipoproteínas deslocam-se por todo o organismo via corrente sanguínea, sob duas formas principais:
HDL -high density = alta densidade (o bom colesterol) e LDL – low density = baixa densidade (o mau colesterol).
Está comprovado que o bom colesterol (HDL) retira as gorduras das células e facilita sua eliminação, sendo benéfico ao organismo. Já o mau colesterol (LDL) ajuda as gorduras a entrarem nas células, fazendo com que o excesso seja acumulado nas artérias sob a forma de placas ou ateromas, o que provoca diversos malefícios.

Quando ingerimos um alimento que contenha colesterol, este, ao chegar no intestino delgado, é absorvido pelas células do intestino e pela via sanguínea chega até o fígado, transportado pelos quilomicrons (verdadeiras vesículas transportadoras de gorduras).

Essas partículas são lipoproteínas de muito baixa densidade (98% de lipídios), que contém um centro hidrofóbico (insolúvel em água), composto por triglicerídeos e ésteres de colesterol, envolto por fosfolipídios, apoproteínas e colesterol, tornando-o hidrossolúvel. No fígado é liberado para fazer parte dos ácidos biliares, dos hormônios sexuais, da vitamina D e dos hormônios da supra renal.

Atualmente, considera-se de grande importância a absorção do colesterol nas porções proximais do intestino delgado por meio de receptores específicos, que podem ser inibidos por medicamento que provocam a diminuição da entrada do colesterol para a célula do intestino, e, consequentemente, pra o fígado. Reconhece-se também que por meio desses receptores pode haver entrada de
fitoesteróis, ou seja, gorduras provenientes de vegetais que podem exercer o mesmo papel nocivo que o colesterol exerce no organismo. Essas substâncias, ao entrarem no organismo, transformam-se em LDL colesterol, ou seja o mau colesterol. Este detalhe, até certo ponto, explica o fato de pacientes que seguem uma dieta rígida, sem produtos animais, não conseguirem diminuir o colesterol do sangue, pois os fitoesteróis da dieta vegetariana podem se transformar em LDL colesterol. Devo deixar bem claro, no entanto, que a quantidade de LDL colesterol proveniente dos fitoesteróis não é significativa, mas deve ser considerada.

É importante que você saiba, caro leitor(a) que o colesterol elevado no sangue não causa sintomas. Os sintomas vêm com o processo aterosclerótico causado por esse aumento do colesterol.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o aumento do colesterol no sangue foi o responsável por 4,4 milhões de mortes no ano de 2002. Nessa estatística, 18% foram por AVC e 56% por doença coronariana.

Mais de 50% da população americana tem colesterol total acima de 200 mg/dl, sendo que 45,8% dos americanos tem LDL colesterol acima de 130 mg/dl e 26,4% deles tem HDL colesterol abaixo de 40 mg/dl. Os níveis ideais de colesterol no sangue são: colesterol total – abaixo de 200 mg/dl de sangue; bom colesterol (HDL) – acima de 60 mg/dl de sangue; mau colesterol (LDL) – abaixo de 100 mg/dl de sangue.

Não deixe de fazer todos os anos o seu check-up e verifique sempre como está o seu colesterol.

Tenha uma alimentação balanceada e pratique atividades físicas regularmente.

Fonte: Um Coração Saudável – Editora Canção Nova – adquira aqui

Este artigo foi escrito por Roque Marcos Savioli

Deixe seu comentário